DESTAQUES
Mauro deverá ter pelo menos sete baixas em seu staff principal; apenas Gilberto confirma candidatura - Política

Para as eleições de 2022, o staff principal do governador Mauro Mendes (DEM) deve sofrer algumas baixas. Por enquanto, apenas uma candidatura é oficial. Gilberto Figueiredo (DEM) já sinalizou que irá deixar o cargo na Pasta da Saúde para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa.
 

Outros secretários como Beto Dois a Um (Esporte e Cultura), Juliano Jorge (Metamat), Nilton Borgato (Secitec), Alan Porto (Educação), Silvano Amaral (Agricultura Familiar), Wener Santos (MT-Par) e Coronel Assis (Comando geral da PM) descartam que serão candidatos, mas nos bastidores seus nomes são apontados como os que devem devem deixar seus postos no final de janeiro para começar os trabalhos de viabilidade política.

Os secretários estaduais que pretendem ser candidatos a deputado devem se desincompatibilizar do cargo até 31 de janeiro, conforme já falou o governador. O prazo legal, no entanto permite que os gestores permaneçam  até abril de 2022, seis meses antes do pleito.

O governador, em recente entrevista à imprensa, admitiu que existe a possibilidade de integrantes do primeiro escalão deixarem suas funções no final do ano.

“Já disse que acho natural que aqueles que desejam fazer política, que encerre o ano e fechem o calendário no dia 31 de janeiro. Depois disso, eles vão poder se dedicar à campanha eleitoral com o direito que todos têm”, afirmou Mauro.

O governador já deixou claro que todos estão liberados e tem autonomia para deixar a gestão, caso queiram disputar a eleição. 

Único que confirmou

Gilberto é aliado de Mauro desde a Prefeitura de Cuiabá, onde foi secretário de Educação. Depois, se elegeu vereador em 2016, deixando a Câmara Municipal para assumir a Saúde do Estado em 2019, no começo da atual gestão.

“Muitos falam assim: 'ah, foi secretário e agora está virando político'. Não, eu já era político. Quando você aceita um cargo público, queira ou não você tem cunho político, porque o prefeito ou o governador é eleito politicamente e escolhe seu staff às vezes até utilizando critérios políticos. Então não dá para excluir de mim o profissional que hoje faz parte da política”, declarou ao Olhar Direto. 

A ida para a Saúde é classificada por ele como “uma convocação, praticamente, do meu partido e do governador”.

“Eu era vereador. Eu abreviei o meu mandato como vereador em Cuiabá para atender um desafio que foi a convocação, praticamente, do meu partido e do governador. Eu atuo e trabalho nesse âmbito desde que fui candidato pela primeira vez. Então natural, eu não tenho cargo vitalício de secretário de Estado, essa é uma missão para ser cumprida. E a missão muitas vezes não corresponde aos períodos eleitorais”, afirmou.

Deixe seu comentário

0 Comentários

MAIS DESTAQUES

Geral

Motorista tenta ultrapassagem e bate HB20 em Gol em rodovia de MT - Cidade
Cidade

Motorista tenta ultrapassagem e bate HB20 em Gol em rodovia de MT

Após perder casa por conta da chuva, homem usa jangada para ajudar no resgate de vizinhos na BA: '85 voltas desde 4h da manhã' - Cidade
Cidade

Após perder casa por conta da chuva, homem usa jangada para ajudar no resgate de vizinhos na BA: '85 voltas desde 4h da manhã'

Emanuel Pinheiro determina criação de plano de contingência para enfrentamento de surto gripal - Saúde
Saúde

Emanuel Pinheiro determina criação de plano de contingência para enfrentamento de surto gripal

Economista avalia que, apesar de melhora em comparação a anos anteriores, 2022 não será ano de crescimento - Economia
Economia

Economista avalia que, apesar de melhora em comparação a anos anteriores, 2022 não será ano de crescimento

Mauro deverá ter pelo menos sete baixas em seu staff principal; apenas Gilberto confirma candidatura - Política
Política

Mauro deverá ter pelo menos sete baixas em seu staff principal; apenas Gilberto confirma candidatura

Justiça determina ampliação de cobertura de tratamento oncológico - Saúde
Saúde

Justiça determina ampliação de cobertura de tratamento oncológico

TCE-MT indefere pedido de cautelar que impediria distribuição de 15 mil cestas básicas pela Prefeitura de Cuiabá - Política
Política

TCE-MT indefere pedido de cautelar que impediria distribuição de 15 mil cestas básicas pela Prefeitura de Cuiabá

Operação Fim de Ano da PM prende 1,8 mil pessoas em MT - Policial
Policial

Operação Fim de Ano da PM prende 1,8 mil pessoas em MT

Deputada diz que “Brasil precisa avançar” e vê solução em 2022 - Saúde
Saúde

Deputada diz que “Brasil precisa avançar” e vê solução em 2022

Mudança na previdência desagrada militares de MT - Política
Política

Mudança na previdência desagrada militares de MT

Beto diz que DEM tentou “arrancar de Mauro” se ele irá para reeleição, mas não houve resposta - Política
Política

Beto diz que DEM tentou “arrancar de Mauro” se ele irá para reeleição, mas não houve resposta

O retorno da inflação em 2021: veja como a alta de preços afetou a economia e o bolso dos brasileiros - Economia
Economia

O retorno da inflação em 2021: veja como a alta de preços afetou a economia e o bolso dos brasileiros

China impõe lockdown a 13 milhões para conter surto de Covid-19 - Saúde
Saúde

China impõe lockdown a 13 milhões para conter surto de Covid-19

Governo recupera 12,6% do que o TCU aponta como pagamentos irregulares do auxílio emergencial - Economia
Economia

Governo recupera 12,6% do que o TCU aponta como pagamentos irregulares do auxílio emergencial

Mato Grosso recebe 81.900 doses de vacina contra a Covid-19 nesta quinta-feira (23) - Saúde
Saúde

Mato Grosso recebe 81.900 doses de vacina contra a Covid-19 nesta quinta-feira (23)

Governo anuncia quitação de dívida do VLT: “Não devemos mais” - Economia
Economia

Governo anuncia quitação de dívida do VLT: “Não devemos mais”

Mion paga promessa por entrar na Globo e caminha 110km - Cultura
Cultura

Mion paga promessa por entrar na Globo e caminha 110km

Botelho critica alterações em projeto e diz que vota com Janaina - Saúde
Saúde

Botelho critica alterações em projeto e diz que vota com Janaina